Farmácia - 2017

Display:

RESUMO

O uso de espécies vegetais utilizadas para fins medicinais são conhecidas por ser uma prática milenar. A fitoterapia é a ciência que estuda a aplicação das plantas medicinais no tratamento de doenças. Os medicamentos fitoterápicos de acordo com a ANVISA são aqueles medicamentos produzidos exclusivamente de matérias-primas vegetais, com sua eficácia e segurança comprovada em testes pré-clínicos e clínicos. Muitas vezes esses medicamentos, são usados com base no conhecimento popular, deixando de lado o conhecimento cientifico de suas propriedades farmacológicas e toxicológicas. Este trabalho teve como objetivos específicos, conhecer a comercialização dos fitoterápicos na cidade de Belém, avaliar a questão da regulamentação desses produtos no país e verificar os possíveis riscos envolvidos no consumo dos fitoterápicos. Aplicou-se o método quantitativo, realizado com acesso a documentações informatizados do controle de vendas, após a coleta de dados constatou 13 medicamentos fitoterápicos mais comercializados e sendo Hedera helix (Abrilar) da classe dos brocodilatadores ficando em primeiro lugar nas vendas e também teve destaque a classe dos medicamentos ansiolíticos que atuam no SNC, exercendo um leve efeito calmante. Concluímos que a fitoterapia é uma forma de tratamento bem aceito e sendo um importante para melhor qualidade de vida das pessoas.

RESUMO

A pílula do dia seguinte (PDS) é um método contraceptivo que atua após o ato sexual em situações especiais ou emergenciais e tem como suas indicações para prevenir uma gravidez indesejada. O presente trabalho tem como objetivo descrever o perfil de usuárias da pílula do dia seguinte em dois bairros no município de Belém-Pará. A pesquisa foi desenvolvida durante os meses de fevereiro a maio de 2017. 100 usuárias entrevistadas eram 50 no bairro do centro de Belém e 50 no bairro periférico todas do sexo feminino e maiores de 18 anos. A coleta de dados foi através da aplicação de um questionário compostos de 12 perguntas abertas e fechadas, buscando obter informações a respeito do comportamento contraceptivo e a utilização da pílula do dia seguinte. Como método foi aplicado a análise exploratória descritivas dos dados, através de tabelas, de gráficos e de medidas descritivas. Em relação à pílula do dia seguinte, verificou-se que cerca de 68% das entrevistadas no bairro da Batista Campos e 70% no bairro da Pedreira, apresentam o ensino médio como nível de escolaridade mais predominante, a frequência de idade foi entre 18 a 42 anos, possuindo o estado civil de solteiras em 60% da Batista Campos e 72% da Pedreira. Verificou-se que 94% da Batista Campos e 80% da Pedreira informaram ter conhecimento especifico sobre o uso da PDS. 94% da Batista Campos e 80% da Pedreira apresentaram algum efeito colateral, o mais relatado foi o sangramento irregular (70% da Batista Campos e 60% da Pedreira). 48% das entrevistadas da Batista Campos utilizam a PDS por indicação de um profissional enquanto que 56% da Pedreira usam por conta própria, entretanto quando ambos os bairros procuravam ajuda profissional o farmacêutico obteve 100% nas buscas. 72% da Batista Campos teve como principal motivo falha de outro método, enquanto que 50% da Pedreira foram à relação sexual desprotegida. O bairro da Batista Campos obteve 50% de suas buscas em rede de farmácia e 50% em farmácia de bairro, 74% da Pedreira buscou apenas em rede de farmácia. Pode-se constatar que a (PDS) é a opção contraceptiva que faz uso de hormônios concentrados que tem por objetivo somente ser utilizada em situações especiais, entretanto a maioria das mulheres, sejam elas de bairros de classe média ou periféricos, tem o conhecimento de que à função da contracepção de emergência é de prevenir uma gravidez indesejada, porém fazem a sua utilização de forma indevida.

RESUMO

A utilização dos fitoterápicos nas últimas décadas vem crescendo no Brasil, porém, a automedicação e o uso prolongado desses medicamentos, seguido de efeitos adversos são apontados como um dos fatores determinantes para casos de intoxicação e ao mascaramento de doenças evolutivas representando, portanto um problema a ser prevenido. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o uso racional de medicamentos fitoterápicos em uma farmácia comunitária no distrito de Icoaraci. Este projeto foi submetido ao comitê de ética em pesquisas em humanos e ainda está em análise pelo Centro Universitário do Pará (CESUPA). Foram entrevistados 100 usuários de medicamentos fitoterápicos por meio de questionário. Dos 100 entrevistados 75% eram do sexo feminino e a maioria dos entrevistados tinha idade de 19 a 60 anos (66%). Em relação ao nível de escolaridade, a maioria dos usuários possui ensino médio completo (55%), seguido de ensino superior (25%). Quando questionados quanto à forma de aquisição, 56% dos usuários compraram o medicamento por indicação de parentes ou amigos e 34% por prescrição médica. Quanto ao conhecimento do medicamento, 90% sabiam o motivo de está adquirindo. Em relação à associação de medicamentos, 78% dos usuários relataram associar medicamentos e destes usuários que faziam associação, 88% não informaram ao médico no momento da consulta. Dos 100 entrevistados 68% fazem algum tipo de questionamento acerca do medicamento com o farmacêutico, tais como a posologia, armazenamento e se podem ser tomados com alimento. De acordo com os resultados obtidos e tendo em vista que a farmácia comunitária, provavelmente, será o último contato da população com um profissional da saúde, ainda faz-se necessário aumentar a atuação do farmacêutico a fim de promover o uso racional do medicamento.